Passeios pedestresPasseios pela Cidade

Caminhada no Percurso Real

[su_audio url=”https://www.prague.fm/mp3/Royal_Route_Walk.mp3″ width=”100%”]

Entre os séculos XV e XIX, os monarcas checos, no seu caminho para a coroação, percorriam ao longo do que é agora conhecido como Percurso Real. Ao longo dos anos, esse percurso – que vai da Corte Real ao Castelo de Praga – fora percorrido por diversos Leopoldos, Fernandos, Carlos, Josés, e pelo Alberto II de Habsburgo, que fora o primeiro, em 1438. Apesar de o Percurso Real ser antigo, a sua alcunha pode ter sido adquirida por volta de 1955, após a reconstrução de muitos dos edifícios que o circundavam.

O dia da coroação era um grande evento. Diversos recintos ao longo do percurso eram decadentemente enfeitados e os cidadãos de Praga enchiam as ruas; mas o número de pessoas, como é óbvio, dependia da popularidade da atual realeza no trono. Ao chegar ao Castelo e à Catedral de São Vito, o monarca era coroado e ungido com óleo santo.

Embora o Percurso Real não seja utilizado há muito tempo por realeza (a última procissão ocorrera em 1836), continua a ser um percurso digno de um rei, pois encontra-se enfeitado por arquitetura bela e exclusiva, uma incrível variedade de casas, passagens, edifícios eclesiásticos e a mundialmente conhecida Ponte de Carlos.

Comprimento: Aproximadamente 2,5 quilómetros. A caminhada demora cerca de 90 minutos a 2 horas (a um ritmo vagaroso).

Ponto de partida: Namestí Republiky. Direções: Da Linha Amarela B à Estação de Metro de Namestí Republiky. Depois de concluir a caminhada, poderá utilizar o elétrico 22 para regressar à cidade, a partir do Castelo.

Pontos de paragem: Relaxe sob os toldos (ou nos porões góticos, se viajar na estação de inverno) dos cafés ao ar livre na Praça da Cidade Velha. Encontrará também diversos cafés e restaurantes de Malostranské námestí a Nerudova.

1.  Da Torre da Pólvora à Praça da Cidade Velha. A partir de Námestí Republiky, siga pela esquerda da linda Câmara Municipal e por baixo da estrutura gótica enegrecida, que é a Torre da Pólvora. Quando inicialmente construída em 1475, a torre fora ligada ao Palácio Real, até que o rei Vladislav Jagellonsky decidira mudar-se para o Castelo de Praga, pois considerava-o um lugar muito mais seguro. No dia da coroação, o futuro monarca seria recebido por vários representantes importantes da cidade na Torre da Pólvora.

Ao viajar para Celetna, agora estará numa das ruas mais antigas de Praga. A rua fora nomeada em honra de um tipo de massa que costumava ser feita aqui. Se quiser experimentar uma pastelaria tradicional checa, nomeadamente o ‘trdelník’, que é um tipo de donut, encontrá-lo-á em diversos pontos turísticos por toda a cidade. Ao continuar a descer em direção a Celetna, olhe para a esquerda para ver a Casa cubista da Madona Negra, assim designada por causa da estatueta que habita a esquina do edifício. Existem diversos outros edifícios significantes ao longo desta rua, inclusive “No Sol Negro” (número 8), onde a anfitriã de Mozart, Josefina Duskova, residia, e “No Vulture” (número 22), uma cervejaria que era, no passado, repleta de festejadores no dia da coroação.

A parte final de Celetna levá-lo-á à Praça da Cidade Velha, no histórico coração da cidade, e onde a procissão da coroação pararia na Igreja de Nossa Senhora Perante Tyn, a fim de aceitar promessas de lealdade da Universidade de Carlos. Por toda a sua deslumbrante arquitetura, o destaque da Praça da Cidade Velha é, sem dúvida, o seu Relógio Astronómico, que fora adicionado à torre da antiga Câmara Municipal, em 1410, por Mikulás de Kadan. É o Relógio Astronómico funcional mais antigo no mundo. A cada hora, o relógio realiza um jogo de moralidade, apresentado por quatro figuras que representam a Vaidade, Ganância, Morte e Entretenimento. A ganância é representada por um agiota judeu, que diz muito sobre o tratamento passado do país para com a sua minoria. Por baixo do mostrador de relógio está um calendário que fora pintado por Josef Mánes em 1805. O calendário inclui os nomes de 365 santos, um dos quais os bebés de Praga costumavam utilizar para ser nomeados.

Enquanto o novo monarca seria recebido por uma banda na Praça da Cidade Velha, pode agora apreciar uma fanfarra proclamada a partir do cimo da torre, de hora em hora até as 21h00.

2.  Da Rua Karlova à Ponte de Carlos. Com o relógio à sua direita, tome nota da esplêndida House at the Minute, que, à primeira vista, poderá chamar a atenção para um vaso grego antigo. De facto, esse “esgrafito” renascentista descreve uma série de governantes Habsburgos, inclusive Filipe II de Espanha. A House at the Minute é também onde Franz Kafka passara parte da sua infância. Caminhe por Malé námestí, em Karlova, e através do cruzamento de Husova, entrando na segunda parte de Karlova, que é ainda mais movimentada do que a primeira. Como alternativa, uma rota muito mais pacífica pode ser encontrada se continuar até a parte final de Husova, rumo a Mariánské námestí, e, em seguida, seguir em direção ao Clementinum – atualmente a funcionar como a Biblioteca Nacional da República Checa. Independentemente do caminho que escolher, chegará à Praça dos Cavaleiros da Cruz, e, logo a seguir, à Ponte de Carlos. Ao atravessar a ponte, olhe para o rio Vltava abaixo e pense nos quatro homens que lá saltaram em homenagem à coroação de D. Fernando I, em 1527. Infelizmente, um deles falecera.

3. Malá Strana: O Bairro Pequeno. Ao sair da Ponte de Carlos, em seu lado oeste, descerá diretamente para Mostecká e o “Bairro Pequeno” de Praga. Lá, o presidente da câmara entregaria as chaves da cidade ao rei ou à rainha, antes de ser efetuada uma saudação da artilharia. Em seguida, a procissão continuaria através de Malostranské námestí e da íngreme inclinação de Nerudova. Ao chegar ao cimo, a procissão seguiria via Pohorelec e, depois, ao longo da rua Loretanska, em direção à Catedral de São Vito. Lá, o novo monarca seria adornado com as joias da Coroa Checa, que incluem a esfera e cetro real, inclusive a coroa de São Venceslau. Nos dias de hoje, as joias estão guardadas, somente acessíveis pela união das sete pessoas mais importantes da cidade, cada uma com sua própria chave especial.

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo