Home / Atracções / Catedral de S. Vito

Catedral de S. Vito

Catedral de S. VitoO Castelo de Praga é dominado pela igreja mais notável de Praga e o símbolo do espírito da nação checa, a Catedral de S. Vito.

Uma passagem estreita leva ao terceiro pátio do castelo, e a uma vista súbita da fachada imensa e impressionante da Catedral de S. Vito surgindo apenas a alguns passos. Pode-se entrar na catedral através da sua porta oeste. Os pináculos da Catedral de S. Vito, uma estrutura gótica francesa elegante mas dominadora, destacam-se acima das muralhas. É a maior catedral do país e contém inúmeras capelas anexas, frescos e lápides; sem esquecer os belos e coloridos vitrais da nave (criadas pelo famoso artista checo Art Nouveau Alfons Mucha), que literalmente brilham com toda a decoração interior. A mais bela entre as várias capelas anexas à catedral contém a tumba de S. Venceslau, o ‘Bom Rei Venceslau’ da cantiga natalícia, que se tornou uma espécie de ponto de peregrinação, e mostra cenas da vida de Cristo. A Câmara da Coroação aloja as Jóias da Coroa Boémia e a Cripta Real é onde a maioria dos reis e rainhas de Boémia têm o seu descanso final (Carlos IV, Venceslau IV, Jorge de Poděbrady e Rudolfo II). A entrada sul da catedral, o Portão Dourado, está decorada com um mosaico colorido adornado a ouro que representa o Último Julgamento, remonta de 1370 e é um dos tesouros artísticos encontrados no Distrito do Castelo. É possível escalar a torre de 96m de altura para ver vistas magníficas sobre a cidade e os mecanismos do relógio. O Sino de Sigismundo da torre, feito em 1549, é o maior sino de Boémia.

Demorou cerca de seis séculos para completar a Catedral de S. Vito. O trabalho começou na actual edifício gótico em 1344, sob a direcção de Matthias de Arras. O alemão Petr Parléř e os seus dois filhos foram responsáveis pelo espantoso coro e as capelas envolventes, que foram finalmente concluídas no início do século XV. A torre no lado sul recebeu a sua torre de campanário renascentista em 1562, à qual foram adicionadas decorações barrocas mais tarde. A nave e a impressionante parte ocidental datam da segunda metade do século XIX. O Portal Dourado (a entrada original) no lado sul contém um mosaico do Último Julgamento, que data de 1370, e foi trazido de volta à sua antiga glória. A Capela de S. Venceslau, que data de 1358 a 1367, é uma das partes mais antigas do edifício e a mais ricamente decorada. As paredes mais baixas estão incrustadas de jaspes e ametistas cintilantes, enquanto os frescos (séculos XIV – XVI) representam cenas da paixão de Cristo e da vida de S. Venceslau (o santo está enterrado directamente abaixo da capela). As fundações da basílica românica do século XI não foram colocadas enquanto a catedral se aproximava da sua conclusão e podem ser vistas na cripta, junto com o sarcófago dos reis de Boémia. O Rei Vladislav Jagiello comissionou o belo Oratório Real na década de 1480: o tecto abobadado, com a forma de ramos de árvore, é altamente invulgar. Um fantástico monumento fúnebre de prata para o santo do culto, John de Nepomuk, foi erigido no coro em 1736. Um dos querubins aponta para a língua do santo, a qual se diz que nunca deteriorou. A catedral também contém belos vitrais do século XX, notavelmente o retrato que Alphonse Mucha fez dos santos Cyril e Methodius na terceira capela desde o lado ocidental.

Catedral de S. Vito

Mausoléu Real

Antes do altar principal há o Mausoléu Real e abaixo dele, na cripta da catedral encontram-se tumbas dos reis.

Capela de S. Venceslau

O centro cerimonioso e mais respeitado da catedral é na Capela do S. Venceslau que além da decoração fascinante contém a tumba do S. Venceslau – o padroeiro nacional.

Além das missas, a igreja costumava servir de lugar das coroações dos reis e rainhas dos países checos. Aqui é depositado o conjunto das jóias de coroação real, fabricadas em ouro e decoradas pelas pedras preciosas e pérolas – a Coroa de S. Venceslau (1346), o Cetro real e Orbe Imperial (do século XVI).

Coroa de S. Venceslau

Coroa de São Venceslau é fabricada de ouro de 21 e 22 quilates, e pesa quase 2,5 kg, foi decorada por 96 pedras preciosas não lapidadas. O rubi da coroa checa é o maior rubi do mundo utilizado para decorar uma jóia. Dos 9 maiores safiras da planeta há 6 na Coroa de S. Venceslau. Em cima da coroa encontra-se uma cruz de safira que alegadamente contém um espinho da coroa de Cristo.
A jóia foi fabricada à ordem do Imperador do Santo Império Romano e Nação Alemã Carlos IV para a ocasião célebre da sua coroação para o Rei da Boémia. A lenda diz que cada pessoa que coloque a coroa sobre a cabeça sem devida autorização irá a ser penalizada pela morte.

 

Horário de abertura: Todos os dias Abr—Out todos os dias 9h-17h, Nov—Mar todos os dias 9h-16h.

Localização: Complexo do Castelo de Praga

Entrada: gratuita para uma pequena parte da Catedral; entrada paga para a cripta, torre e coro.

 

Check Also

Ponte Carlos

A Ponte Carlos do século XIII (Karlův most) – alinhada com quinhentos metros de estátuas …