Passeio desde a Praça da Cidade Velha até a Câmara Municipal

Considerando que o moderno coração de Praga bate na Praça de Venceslau, o passado da cidade é mantido muito vivo na Praça da Cidade Velha. Embora tenha sido transformada, em alguns aspetos, numa armadilha para turistas – gelados caríssimos, excursões intermináveis e Segways invasores (esteja atento a estas engenhocas) – não pode deixar de se maravilhar com a imensa quantidade de história preservada neste espaço pequeno.

Praça da Cidade Velha sempre foi um centro de celebração. Hoje em dia, multidões aglomeram-se aqui no final de um jogo internacional de hóquei no gelo, ou para aproveitar as delícias do Mercado Natalício, mas, no passado, as pessoas reuniam-se para momentos sem dúvida mais decisivos, tais como o acolhimento da fundação da República da Checoslováquia em 1918, inclusive as comemorações de 1989 em que os checos comemoraram o regresso da democracia ao seu país.

No entanto, a Praça não é apenas um centro de celebração, pois também aloja uma história muito mais obscura – uma de invasão, execução e defenestração (mais informações a seguir).

 Download MP3 audio walking tour  Request English-speaking guide for this tour
1.  Vários turistas estão sempre presentes ao redor da Sala da Cidade Velha na Praça – um edifício do século XIV, sendo a sua peça central o Relógio Astronómico, adicionado em 1410 pelo relojoeiro imperial Mikulas de Kadan. Em cada hora, um mar de turistas olha para o relógio de forma a visualizar uma estatueta representante da Morte a tocar o sino e a inverter a sua ampulheta, inclusive o desfile dos 12 apóstolos por cima do relógio. Nos últimos anos, porque muitos têm considerado esta cena como anticlimática, um trompetista também faz a sua representação a partir do cimo da torre. O relógio em si é extremamente complexo, pois representa as horas em estilo europeu (24 horas) e boémio e as horas do nascer e do pôr-do-sol.

2.  Os momentos mais infames da história da Câmara Municipal são as suas defenestrações (palavra originária da República Checa que significa ser arremessado por uma janela aberta). A primeira destas ocorreu em 1419, quando sete membros do conselho da cidade foram assassinados por uma multidão enfurecida de hussitas, e, o segundo, em 1618, quando quatro Regentes Católicos suportaram o mesmo destino. Algumas fontes, no entanto, afirmam que este segundo grupo de vítimas desembarcou numa enorme pilha de esterco, afastando-se do incidente de forma ilesa. Se planear de forma cuidada, poderá assistir um dos excelentes espetáculos de luz e som que são projetados sobre a torre, recordando a sua história colorida.

3.  À direita do relógio, em direção ao centro da Praça, encontra-se o Memorial a Jan Hus. Este improvável herói nacional é comemorado anualmente num feriado nacional, mais precisamente no dia 6 de julho. Outrora controlada pelos hussitas, situada acima da Praça da Cidade Velha, está a Igreja de Nossa Senhora antes de Tyn. É uma das maiores igrejas da cidade e outra realização arquitetónica de Carlos IV (relacionado com a famosa Ponte de Carlos). Dito isto, esta estrutura demorou algum tempo para ser concluída. O trabalho na igreja começou em 1365, mas a torre sul não foi terminada até 1511. Esteja atento às quatro torres pequenas posicionadas em torno das mais importantes – tal denota um local de execução; um lugar onde hussitas numerosos perderam as suas cabeças. A igreja pode ter um exterior gótico, mas coloque a sua cabeça em torno da sua porta e uma outra história será revelada, uma de forte influência barroca. No interior, encontrará o órgão de tubos mais antigo de Praga.

4.  Sair da Praça da Cidade Velha poderá ser algo deveras complicado devido à combinação de travessias estreitas e muitos turistas. A sua melhor opção é escapar-se por meio de Zelezna, que o levará diretamente a um espaço mais aberto e tranquilo no Teatro Estatal – a estrutura neoclássica que se parece um pouco com um bolo de casamento verde. Este teatro representa a paixão de Mozart por Praga e é aqui que o génio realizou a sua estreia mundial de Don Giovanni. Em frente do teatro encontra-se a mórbida estátua do Comendador dessa ópera. Poderá também reconhecer o interior de veludo azul; local do filme Amadeus, vencedor de um Óscar, que foi filmado pelo diretor checo Milos Forman.

5.  À esquerda do Teatro Estatal está a Carolinum, fundada por Carlos IV, em 1348, como a primeira universidade na Europa Central. Durante a sua expansão, o complexo foi equipado com salas de aula, um spa e, curiosamente, uma prisão. A característica marcante do edifício é a sua janela de sacada gótica, originária de 1370 e adornada com esculturas ornamentais em pedra que demoraria horas, quiçá dias, para as apreciar plenamente. Hoje em dia, a Carolinum é utilizada em grande parte para cerimónias de graduação.

6.  Caminhe pelo lado direito do Teatro Estatal e siga Ovocny trh pela esquerda, onde encontrará a Casa da Madona Negra – um exemplo extremamente raro do Cubismo Checo, um movimento que existiu entre 1910 e 1914, o qual foi erradicado pelo advento da Primeira Guerra Mundial. A Casa da Madona Negra aloja dois lugares de grande interesse: o primeiro é um museu cubista e loja de presentes; o segundo, o cuidadosamente restaurado Grand Café Orient, onde poderá apreciar um chocolate quente espesso ou um copo de vinho, enquanto ouve música clássica no piano de cauda. Se este edifício aumentar o seu apetite pelo cubismo checo, deverá também ver o Josef Chochol – uma vila localizada no rio em direção a Vysehrad.

7.  Agora prossiga para Celetna, onde poderá imediatamente reparar na Torre da Pólvora – uma estrutura gótica que foi outrora parte das defesas da cidade. Esta foi também o lugar onde, até 1836, monarcas boémios passavam, no seu trajeto, para a coroação na Catedral de São Vito. Hoje em dia, poderá subir os seus 186 degraus e apreciar uma das melhores vistas da Cidade Nova.

8.  Anexado à Torre da Pólvora está indiscutivelmente o melhor exemplo de Arte Nova de Praga. Este é o resultado dos esforços combinados de muitos dos principais artistas e arquitetos do país daquela época, inclusive Alfons Mucha, que criou algumas das pinturas murais no interior. No interior, há um café, dois restaurantes e o recentemente restaurado Bar Americano, onde fazem um Manhattan em grande estilo. Para um jantar ao estilo de Arte Nova, mas com um preço acessível, atravesse Namesti Republiky e caminhe durante cinco minutos em Na Porici, onde o Café Imperial aparecerá à sua esquerda. Aqui poderá apreciar bons ovos com o esplendor da influência egípcia.

 

PAT

Check Also

Passeios em Carros Vintage

Alguns negócios disponibilizam viagens em torno da cidade em carros checos vintage que datam do final dos anos 20 e do início dos anos 30. Há pontos de embarque em vários locais no centro da cidade; as viagens iniciam-se conforme a disponibilidade, ou sempre que você pedir, se estiver calmo. Os passeios duram cerca de 40 minutos.