Home / História / Os Roma (Ciganos) na República Checa

Os Roma (Ciganos) na República Checa

Os Roma (Ciganos) na República ChecaMuitos especialistas acreditam que os Roma, que perfazem aproximadamente 0,3% da população checa, são originários da Índia, mas ainda é incerto como eles chegaram à Europa Central no século XV. Assim que chegaram, foram vistos como “diferentes” e rejeitados pelo resto da sociedade, principalmente por causa dos seus costumes diferentes, roupas diferentes e do seu modo de vida nómada. Desde a sua chegada, sofreram perseguição e discriminação na Europa Central.

Muitas pessoas na República Checa desconfiavam imenso dos Roma, pois eles estavam muitas vezes envolvidos em crimes, tais como roubo, no entanto, eles eram conhecidos como bons trabalhadores. Os Roma que viviam na República Checa também não eram devidamente educados e muitos nem sequer conseguiam passar pela etapa obrigatória de escolarização. É errado lançar um estereótipo sobre uma raça inteira, mas a maioria dos checos ouviam histórias sobre crimes constantes cometidos pelos Roma. Claro que os Roma não eram todos iguais, pois alguns trabalhavam, mas preenchiam principalmente trabalhos sem grande importância e com remuneração baixa.

 

Perseguição dos Roma

Na história moderna, a perseguição dos Roma começou em 1927, quando foi aprovada uma lei para os Roma Nómadas. Esta lei obrigava-os a pedir permissão para permanecer durante a noite e também para solicitar uma forma de identificação. Porém, a época mais terrível para os Roma surgiu durante a Segunda Guerra Mundial, pois foram forçados a trabalhar em campos de trabalho pelos nazis. Estes foram mais tarde substituídos por campos de concentração em Lety u Pisku na Boémia e Hodonin u Kunstatu na Morávia, onde muitos Roma morreram por causa de desnutrição, doenças e/ou brutalidade. Muitos foram também transportados para campos de extermínio pelos nazis. Após a guerra, apenas aproximadamente 300 Roma checos sobreviveram, de uma população de aproximadamente 6.500 antes da mesma. É importante saber que é visto como um embaraço para a nação checa o facto de isto ter sido praticamente silenciado após o final da guerra.

 

Reeducação Comunista

Os comunistas fizeram tentativas durante o seu governo para integrar os Roma na sociedade, embora a maneira como eles foram “educados” tenha sido, obviamente, com uma forte tendência para com a ideologia comunista. Isto significa que as suas tradições e língua foram suprimidas e eles foram encorajados a deixar de viver a sua vida nómada. Os seus empregos tradicionais, tais como tecelões, músicos e ferreiros, foram retirados, e, em vez disso, foram forçados a trabalhar como operários e movidos das suas terras rurais para as cidades grandes. Durante o regime comunista, os Roma foram parcialmente integrados na sociedade, contra a vontade de muitos deles, verdade seja dita – eles foram inclusive obrigados a frequentar a escola e a participar na comunidade como um todo.

 

Desafios Pós-Comunistas

Após a queda do comunismo, os Roma foram deixados sem qualquer tipo de apoio na sociedade e sem alguém para lutar pela sua causa. Isto impossibilitou que muitos filhos de Roma fossem aceites em escolas, mas não só, os empregadores também deixaram de empregar os Roma.

Hoje em dia, a taxa de desemprego dos Roma situa-se em aproximadamente 70% e eles são vistos pela grande maioria dos cidadãos checos como bêbados e ladrões. Eles sofrem ataques violentos com muita frequência, simplesmente porque são Roma (ciganos). É de saber que muitos Roma estão a emigrar para o Canadá e a Europa Ocidental para começar uma vida nova.

 

Direitos Humanos e os Roma

Em 1998, um muro foi construído em Usti nad Labem, com a intenção de separar a população Roma na cidade do resto dos cidadãos, o que causou muito constrangimento para o país como um todo. Tal foi duramente criticado por grupos de direitos humanos e o muro foi derrubado depois de pouco tempo, mas esses grupos de direitos humanos ainda dizem que há muito trabalho a ser feito em relação aos direitos dos Roma.

Grupos neonazis estão também a agredir constantemente os membros da comunidade Roma, agora mais do que nunca, tanto na República Checa como na Eslováquia. É também discutido por muitas pessoas a possibilidade de a polícia e os tribunais não estarem a considerar este problema de forma séria. Um grupo de apoio aos Roma, intitulado “Dzeno”, afirmou num relatório que a língua e a cultura dos Roma estão a receber o apoio necessário, mas tem havido um declínio na qualidade das habitações e condições de trabalho ao longo dos últimos anos. Este também afirmou que o extremismo tem aumentado de forma alarmante.

Check Also

A Queda do Comunismo

O legado do comunismo ainda vive muito nos corações e mentes da República Checa e ainda afeta as psicologias do povo, bem como a situação económica e social do país. O que é evidente é que o comunismo é algo que roubou o povo checo. Quem não estava vivo durante o período do regime comunista não é capaz de compreender exatamente o que era para os homens, mulheres e crianças que viveram durante esse tempo.