O Assassinato de Reinhard Heydrich

Reinhard HeydrichEm setembro de 1941, o segundo comandante da SS (Schutzstaffel, organização paramilitar ligada ao partido nazi alemão) e um favorito pessoal de Hitler, Reinhard Heydrich, que foi um dos idealizadores do Holocausto, concordou em substituir o ineficaz Otto Neurath como o governador checo. Heydrich entendia completamente a parte em que o Protetorado de Morávia e Boémia, fundado pelos nazis, tinha tido nos esforços de guerra da Alemanha, pois a área altamente industrializada era a localização de duas das maiores fábricas de armamento na Europa – uma em Brno e outra em Pilsen.

Quando uma série de incidentes de sabotagem deu a parecer que poderia interromper os suprimentos da frente oriental, Heydrich fez uma visita a Praga, com um plano ameaçador em mente. Apesar dos benefícios crescentes para os trabalhadores – cortejando as classes trabalhadoras checas com sapatos, férias de spa e carne – ele também fez frente ao menor indício de oposição e às atividades económicas proibidas.

Simultaneamente, o governo checo deparou-se com uma crise de credibilidade aos olhos da Grã-Bretanha. Depois de os britânicos assinarem o Pacto de Munique (que era um pacto de conciliação que iria anexar a área de Sudetos da Checoslováquia aos nazis), milhares de eslovacos e checos viajaram para o exterior para lutar e os poucos que permaneceram no país ocupado envolveram-se na resistência clandestina. Além disso, em vez de ocupar a Checoslováquia, um grupo de ajudantes checos foi capaz de ajudar os nazis. O PM exilado, Edvard Benes, foi considerado pelos Aliados como o porta-voz autoproclamado de um país cúmplice.

Foi neste contexto que 2 paraquedistas, Jan Kubis e Jozef Gabcik, foram selecionados e treinados na Escócia, pelas Operações Especiais Britânicas, para uma operação secreta e suicida para assassinar Heydrich.

Na manhã de 27 de maio de 1942, Heydrich estava a viajar na colina de Kobylisy para fazer o seu trajeto diário. Nesse trajeto, quando estava prestes a fazer uma curva apertada, ele reduziu a velocidade, e, nessa altura, Gabcik passou na frente do veículo de Heydrich, apontou a metralhadora Sten a Heydrich e puxou o gatilho. No entanto, a arma não funcionou (provavelmente tinha encravado).

Heydrich ordenou que o seu motorista parasse e sacou a sua própria arma. Neste momento, Kubis apareceu por trás e lançou uma granada caseira, a qual falhou o seu alvo e detonou fora do veículo. No entanto, esta explosão foi suficiente para ferir Heydrich, que foi conduzido a um hospital local, onde faleceu alguns dias depois. Durante o seu funeral, que foi o funeral nazi mais prestigiado, Hitler sempre pareceu genuinamente perturbado e Heydrich foi proclamado como um exemplo para todos os membros da SS.

No Protetorado, a resposta dos nazis era bárbara. A lei marcial foi declarada, 2 aldeias foram prontamente demolidas e, nos meses seguintes, 5.000 pessoas foram assassinadas. Uma recompensa foi oferecida por informações que resultassem na prisão dos assassinos. Um membro de uma outra unidade de paraquedistas, Karel Curda, traiu os seus colegas. No dia 18 de junho, às 04h15m, a Gestapo aproximou-se da Igreja dos Santos Cirilo e Metódio, na qual os dois paraquedistas estavam escondidos, na rua Resslova. Após uma luta de duas horas, Kubis, que estava a guardar a nave da igreja, foi assassinado juntamente com dois outros guardas. Gabcik, juntamente com três outros paraquedistas, tirou a sua própria vida na cripta.

Ao longo dos anos, a opinião sobre o assassinato de Heydrich tem variado. Muitos ficaram horrorizados com a perda da vida, acreditando que, essencialmente, esta eliminou a oposição checa clandestina. Como a missão foi originada pelos Britânicos (não pelos soviéticos ou nativos), tal também resultou em problemas após a tomada de posse pelos comunistas. A missão foi oficialmente considerada como simbólica, mas limitada.

Nos dias de hoje, os historiadores complementam os sacrifícios que foram feitos. Nos dias seguintes à missão, o governo da Grã-Bretanha revogou a sua assinatura do Pacto de Munique, reconhecendo os limites anteriores à guerra da Checoslováquia; o governo francês também fez isso dois meses depois. Heydrich, cujo assassinato esteve entre os atos de resistência mais notáveis na Europa ocupada, foi o oficial nazi com maior cargo oficial nazi que foi assassinado enquanto executava as suas funções. No aniversário do assassinato, os políticos checos adornaram o pavimento perto da cripta com flores e coroas. Em 2009, o lugar onde Heydrich foi assassinado (ao lado da autoestrada Terezin, no norte da cidade) foi marcado, finalmente, com um monumento apropriado.

PAT

Check Also

A Queda do Comunismo

O legado do comunismo ainda vive muito nos corações e mentes da República Checa e ainda afeta as psicologias do povo, bem como a situação económica e social do país. O que é evidente é que o comunismo é algo que roubou o povo checo. Quem não estava vivo durante o período do regime comunista não é capaz de compreender exatamente o que era para os homens, mulheres e crianças que viveram durante esse tempo.